Temos vivenciado a intensificação de eventos ambientais extremos, como chuvas, seca, vendavais, granizo, queimadas, entre outros. Parte disso é resultado da elevação da temperatura da superfície terrestre e dos mares. Como exemplo, o ano de 2016 foi o mais quente até então registrado, batendo o record de 2015, ou seja há uma tendência de aquecimento. A concentração de CO² na atmosfera tem também batido record.

 

Estas alterações de padrões nos trazem um novo desafio, o de considerar a variável climática em nossos planos, planejamentos e estratégias. Tanto na sociedade, no governo e na iniciativa privada, são concretas as necessidades e oportunidades de melhoria e ajuste.

 

Organizações estimam em US$ 300 bi de prejuízo financeiro causado por eventos extremos, em 2016 foram identificados 315 eventos de catástrofes naturais. É estimado em 720 milhões de pessoas podem ser levadas a miséria por conta das mudanças climáticas potenciais.

 

Reflexos no tipo de moradia, nas áreas habitáveis, na expansão urbana, mobilidade, agricultura, segurança, enfim, os reflexos permeiam a todos indivíduos e negócios.

 

São importantes as ações sociais e políticas realizadas na tentativa de reduzir o crescimento deste aquecimento ou estanca-lo, mas de qualquer forma, quanto sociedade, precisamos nos preparar para conviver e gerenciar estes eventos mas frequentes, reduzindo assim as perdas humanas e materiais.

 

As comunidades são diretamente impactadas e por conta disso as atividades de Defesa Civil organizada cada vez mais torna-se relevante a sociedade. Ação conjugada destes núcleos, também com os planejadores da expansão urbana e gestores do meio ambiente, garantem uma expansão ordenada, segura e inteligente.

 

Ações de educação, planejamento, monitoramento, controle e fiscalização são fundamentais para permitir que com antecedência haja preparo estrutural e processual para ocorrências destes eventos. Ter com exatidão e antecedência a identificação/aviso de um potencial risco de ocorrência, adicionado ao contexto local, nos permitirá vivenciar de forma menos danosa por momentos de maior criticidade.

 

É chegada a hora de os gestores, públicos e privados, agirem com antecedência, buscando reduzir o risco de ocorrências ou sana-las. Não há mais condições em se tomar ações apenas quando da ocorrência de fenômenos que ceifam vidas, histórias e futuro.

 

Você já conhece o Geopixel Monitor é um software desenvolvido sobre a plataforma TerraMA2 do INPE, especializado em monitorar, analisar e gerenciar alertas de riscos de eventos ambientais extremos, possibilitando uma tomada de decisão em tempo seguro para a prevenção de desastres. Ele é totalmente integrado com os demais sistemas da Geopixel, recebendo e fornecendo informações para os monitoramentos, análises e alertas necessários em uma única plataforma. Acesse nosso site e conheça nossos produtos: www.geopx.com.br

 

 

Escrito por: Fernando Leonardi e Paulo Simão

Tags:

Buscar por uma notícia

    © 2022 Todos os direitos reservados para Geopixel